Image

Conheça um pouco mais sobre João Cabral de Melo Neto

“Somos muitos Severinos, iguais em tudo na vida: na mesma cabeça grande / que a custo é que se equilibra, no mesmo ventre crescido sobre as mesmas pernas finas, e iguais também porque o sangue que usamos tem pouca tinta. E se somos Severinos, iguais em tudo na vida, morremos de morte igual, mesma morte Severina”.

Olá! Você acaba de ouvir um trecho do poema “Morte e Vida Severina”, do poeta e diplomata João Cabral de Melo Neto. Ele nasceu no Recife em 1920 e escreveu essas palavras tão marcantes em 1956, um legado que nos fala sobre identidade e resistência. Além da paixão pelas palavras, João Cabral também era amante do futebol … E bom de bola! Assim com foi um craque na literatura.

Ele inaugurou uma nova forma de fazer poesia no Brasil, marcada por um grande rigor estético. Esse amor pela escrita vinha da família. O escritor era primo de Manuel bandeira e do sociólogo Gilberto Freyre. Cabral faleceu no Rio de Janeiro em 1999, mas com sua poesia ele segue ajudando a gente a pensar o Recife, e cuidar da nossa cidade. Bora cuidar também? Segue no circuito, convivendo com a poesia que escreveu a história do Recife. E que merece todas as nossas homenagens.

Listar todos os poetas